Ops, foi engano…

Fiz aniversário no primeiro sábado do mês, com direito a almoço especial na casa de meus pais. Como acontece há pelo menos 16 anos, mergulhei em reflexões pré-natalícias. Em anos passados, algumas dessas viagens interiores resultaram em alteração no rumo de minha vida. Outras vezes, apenas numa triste constatação dos efeitos físicos da passagem do tempo. Neste ano, o saldo foi positivo. Sei que preciso emagrecer, voltar à academia, organizar melhor minha rotina diária e alimentação. Em contrapartida, sou mais serena do que há anos atrás.

Cerca de dez dias após o meu aniversário, postei no Facebook uma foto ao lado de meu amado com a seguinte legenda “Mais um ano de vida…” Só não percebi que a mensagem foi publicada de maneira incompleta, omitindo a parte final “de vida”. À noite, colhi o resultado: parentes e amigos parabenizavam o casal por mais um ano de união. Pensei em corrigir o engano, mas o meu par achou muito divertido receber felicitações de gente que não via há anos.

Fiquei pensando: uma notícia comum mas equivocada gerou uma torrente de curtidas e mensagens amistosas. Parentes que moram distantes sentiram-se próximos, compartilhando nosso momento de alegria. Antigos colegas de escola, que já não vejo há mais de 20 anos, demonstraram seu afeto. Colegas de trabalho, atuais e de outras épocas, ocuparam minutos ou segundos de seu tempo para apoiar nosso tempo de amor. Pouco importa que não tenha sido aniversário de namoro ou casamento. Nesse mundo virtual, repleto de sarcasmo e ódio, é extremamente agradável saber que criamos uma corrente de amor, mesmo que por engano.

Ainda nessa semana que passou, eu comentava com meus colegas do trabalho o quão assustadora é a violência destilada nos comentários que circulam nas redes sociais. Credito uma parcela da virulência que observamos no ambiente virtual ao suposto anonimato ali existente. Por outro lado, talvez os bons modos estejam fora de moda. É possível que eu esteja ultrapassada quando penso em argumentação como exercício de defesa de ideias e não de ataque do interlocutor.

Outra coisa que me desagrada nas redes sociais é o seu uso na divulgação de mensagens destinadas a comover. Vamos dar uma olhada no Facebook: “Se você ama sua mãe, compartilhe”; “Fulaninho está desaparecido desde ontem. Mandem notícias para a família”; “Fulaninho já apareceu. Estava jogando futebol com os amigos”; “Veja que cena comovente. Se você tem coração e se compadece de uma criança doente, compartilhe”; “Mantenha viva essa corrente de oração. Copie e cole no seu perfil”. Sou uma pessoa fria, reconheço. Bastam duas mensagens desse tipo para me fazerem sair correndo do site.

Afinal, o que se busca numa rede social como o Facebook? A resposta a essa pergunta varia de pessoa para pessoa. Não sei o que os outros procuram, mas eu gosto de ter notícias das pessoas que conheço, saber como estão os meus amigos, mesmo os mais distantes no tempo e no espaço, manter contato com primos e tios que moram longe, com colegas e estagiários que não trabalham mais comigo. Por fim, o que parece óbvio: as redes sociais não são um veículo de notícias confiável. Se é assim, por que a insistência em replicar reportagens ou, pior ainda, divulgar informações de origem duvidosa? Eu prefiro quem publica videos de seu artista favorito ou fotos de viagens.

Ah! E as fotos de viagem? Há muita polêmica sobre o assunto. Há quem pense que o Facebook cria um mundo artificial em que todos são bonitos, felizes, bem-sucedidos e estão sempre em festas, na praia ou viajando pelo mundo. E mais: a felicidade alheia assim exposta desafia os melhores sentimentos e faz brotar a semente da inveja. Pode ser verdade. Felizmente não fui inoculada com esse veneno: adoro acompanhar as festas e viagens alheias. Adoro fotos de casais apaixonados e famílias felizes. A infelicidade existe, e não sou insensível a ela, mas vibro de alegria com o sucesso alheio.

A propósito do post equivocadamente publicado, esclareço que o nosso romance teve início no dia 11 de setembro…

4 thoughts on “Ops, foi engano…

  1. Li o texto e gostei muito!
    Concordo com todos os pontos enfocados e graças a rede social passei a contatar com colegas do curso de Direito, o pessoal de atletismo da UFBA e até amigos de infância.
    Todavia, passa in albis postagem de estranhos, principalmente em casos polêmicos.

  2. Olá Márcia! Parabéns! Beleza de texto. Quanto ao face acesso uma vez ou outra, gosto, porém nunca coloco foto do momento (ação que esteja realizando, por exemplo viagens, sempre posto depois). Comungo com você com relação algumas mensagens: Se você acha que mãe deveria ser para sempre, compartilhe. Ufffa! DIficil!!

  3. Márcia parabéns por mais um ano de vida onde virão muitos outros .
    Quanto ao facebook já tive há muito tempo, saí faz muito tempo e não sinto a menor falta .
    Não gosto de como as pessoas se expõem e não gosto de me expor
    Acho até perigoso, lembro que quando tinha li muitas vezes pessoas colocando fotos de onde estavam, para onde estavam indo, muitas vezes com fotos das roupas que estavam vestindo, do carro etc, ou seja qualquer pessoa poderia acha-la, encontrá-la o que eu acho um perigo .
    Enfim para encontrar os amigos prefiro pessoalmente como tenho feito com amigas de infância, tomamos café pelo menos 1 vez por mês, amigos do colégio de ginásio falamos por WhatsApp e fazemos um encontro de vez em quando, da faculdade geralmente de 5 em 5 anos e os atuais procuro trazê-los para um café em nossa casa
    Graças a Deus adoro receber e meu marido também
    Bjs e como sempre parabéns pelo texto

  4. Márcia,
    É sempre uma satisfação ler um texto seu. Este está ótimo!
    Achei engraçado o equívoco: “mais um ano…”. Eu sabia que era “de vida” (Vocês estão tão bonitos que valeu a pena).
    Eu confesso que já estou ficando cansada de facebook. (Tem muita coisa desagradável mesmo).
    Assim como você, o que mais gosto é de poder reencontrar os amigos e parentes. É muito bom ter noticias de todos.
    Gosto muito de ver as fotos de viagens… festas de família; família reunida; filhos… netos… Gosto muito de participar de momentos de felicidades dos meus amigos e parentes. Enfim, gosto de ver coisas bonitas!
    Por tudo isso, permaneço no facebook.
    Beijos!

Deixe uma resposta para LucinhaSampaio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + 16 =