Quem somos?

Formamos uma estranha confraria.

A identificação provoca arrepios de contentamento.

Buscamos sinais que denunciem os nossos pares ocultos na multidão.

Quem somos?

 

Vasculhamos indícios que incriminem nossos cúmplices.

Atentamente perscrutamos a alma alheia.

Desconfiados, repousamos no isolamento que nos destinam.

Quem somos?

 

Arrebatados pelas renovadas emoções de nosso vício,

ansiamos pela próxima dose.

Quem somos?

 

Acostumados a viver à margem da sociedade,

somos tratados como espécies raras em um zoológico.

Quem somos?

 

Nenhum limite nos pode ser imposto.

Rebeldes, não aceitamos amarras.

Nossos elos não formam cadeias.

Quem somos?

 

Em nossa irmandade silenciosa,

não existe rito de passagem.

A todos está facultado o ingresso. E a saída.

Quem somos?

 

Febrilmente despertamos de nosso transe,

impelidos pela necessidade de retornar à vida cotidiana

e abandonar, ao menos temporariamente, a inesgotável fonte de prazer

Quem somos?

 

Absolutamente democrático,

nosso culto acolhe garotinhos, moças sonhadoras,

homens engravatados, bondosas vovós.

Quem somos?

 

Aceite nosso convite.

Tome posse de sua cadeira.

Faça parte da comunidade que nada retira e tudo credita.

Quem somos?

 

Quem somos? Quem somos? Quem somos?

Que somos? Que somos?

Somos? Somos?

 

Não pergunte por nossa identidade secreta.

Nada temos a revelar.

Somos investigadores.

Curiosos. Leitores.

 

Mergulhe no fundo de sua alma.

Viaje por mundos imaginários.

Faça novos amigos.

Viva grandes paixões.

 

Abra um livro.

Descubra-se. Cresça.

Amadureça. Rejuvenesça.

 

O que somos: leitores.

 

4 thoughts on “Quem somos?

  1. Márcia.
    A verdadeira identidade do poeta é uma incógnita, tudo depende do seu estado de humor. A criatividade vem com as emoções, não tem fórmula predeterminada.
    Muito bonito o seu poema; continue, você tem talento.
    Abraços de Terezinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 2 =