Vou vestir cor-de-rosa

Chegou o mês de outubro e, com ele, a campanha Outubro Rosa. Trata-se de uma campanha de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, realizada durante o mês de outubro por diversas entidades públicas e privadas, ao redor do mundo. Os monumentos são iluminados em rosa, as pessoas prendem laços cor-de-rosa às suas roupas, toda forma de divulgação é válida.

No ano passado, eu escrevi sobre a gênese do movimento e a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama (http://marcia.sampaio.me/2013/10/outubro-rosa/). Mais uma vez, adiro ao Outubro Rosa.

A palavra câncer assusta. Muitos sequer a pronunciam, como se, por não ser nomeada, a doença não existisse. Infelizmente existe. Todos nós conhecemos uma, duas, muitas pessoas que a enfrentaram e – que felicidade! – venceram.

Há alguns anos atrás, acreditávamos que se tratasse de um mal associado à idade. O mastologista me disse que a idade é um fator muito importante, tendo em vista que o envelhecimento das células estaria ligado à sua multiplicação desordenada. Sabe-se, porém, que, para muitas espécies de câncer, o componente hereditário é preponderante. E, assim como acontece com a hipertensão e o diabetes, a existência de ascendentes portadores da doença é uma das primeiras perguntas feitas pelos médicos.

Nos últimos anos, muitas mulheres de meu circulo familiar ou de amigos descobriram um tumor maligno na mama. Foi uma descoberta dolorosa, mas, graças a Deus, elas enfrentaram a doença, submeteram-se ao tratamento, penoso mas necessário, e derrotaram o dragão. Algumas delas, quando diagnosticadas, ainda estavam na casa dos 30 anos; outras, mães de amigas, já tinham mais de 70. Em comum, havia a circunstância de terem sido obtido um diagnóstico precoce, o que ampliou imensamente a probabilidade de êxito no tratamento.

Neste mês de outubro, vamos vencer a vergonha, a preguiça, a ignorância, o comodismo e marcar uma consulta com o ginecologista. Iremos nós e levaremos mães, filhas, irmãs, avós, tias, primas, amigas, colegas… É tempo de convidar todos a participarem dessa campanha. Vamos vestir cor-de-rosa!

4 ideias sobre “Vou vestir cor-de-rosa

  1. Isso aí, Márcia! O inimigo é forte, precisa ser enfrentado. O medo, o comodismo ou a negligência são motivos da expansão dos casos de câncer da mama. É válida a campanha. Vamos vestir a camisa rosa.

  2. Adorei seu texto, Márcia!
    Esta é a campanha em que acredito e levo fé. Esta sim!
    Continuemos com a nossa campanha contra o câncer de mama…é muito importante a prevenção!
    Beijo, te amo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − seis =