Culinária cenográfica (Brownie)

É admirável o talento de quem trabalha nos bastidores das produções artísticas. Embora muitas montagens apresentem cenários e figurinos minimalistas, quase inexistentes, confesso que gosto de uma produção bem cuidada.

Para olhos leigos como os meus, em produções contemporâneas, urbanas, o talento de cenógrafos e figurinistas, embora presente, não se evidencia tanto quanto em produções rurais ou de época. Basta observar as novelas globais. A atual novela das seis, Lado a Lado, cuja história se passa no começo do século passado, traz uma bela produção, fruto de muita pesquisa histórica. Já a sua irmã das sete, Guerra dos Sexos, não aparenta oferecer maiores desafios. A história, como é rotineiro, acontece nas mesmas mansões, escritórios ou sobrados de vila. A cidade, mais uma vez, é o Rio de Janeiro. Por sua vez, a inovação, no horários nobre, é emular a Turquia e seus prostíbulos ou as favelas cariocas.

Mas ficar criticando as novelas e o hábito nacional de assisti-las é uma coisa muito banal. Toquei no assunto apenas para elogiar o trabalho dos cenógrafos que recriam o ambiente adequado ao desenrolar da cena. São grandes artistas plásticos, que, auxiliados por marceneiros, eletricistas, pintores, nos fazem crer na realidade das histórias.

Li sobre um outro ramo da produção cenográfica: o preparo da comida e bebida que serão consumidos pelos personagens. É óbvio que os atores não podem estar bebendo tanto uísque enquanto gravam suas cenas. Haja tomar chá…

Outro dia fui almoçar na casa de uma pessoa muito amada, cozinheira renomada e descobri seu talento artístico. Com muito carinho, ela idealizou e executou uma iguaria perfeita para ser servida em algum filme ambientado em Guantánamo ou alguma outra prisão mal-afamada. Teria que ser uma produção de Oliver Stone, que ressaltasse a desumanidade das condições daquele presídio. A cozinheira garantiu enfaticamente que, apesar da aparência repulsiva, o sabor estava irrepreensível, adequadamente cozido e temperado. Mas, a cada porção que era servida (splotch!), o seu talento para a cenografia sobrepujava o renome culinário.

Eu não tenho esse talento. Não sei criar receitas novas. Sou uma cozinheira sem criatividade, limitada à execução das receitas elaboradas e previamente testadas por outras pessoas. Uma receita que aprendi a fazer e faz sucesso razoável é um brownie (mais um!) com açúçar mascavo, perfeito para ser servido com sorvete. Não sei de veio a receita, mas já está há tanto tempo em meu caderninho que sinto como se me pertencesse. Ei-la:

Numa tigela, misture 100 gramas de chocolate meio amargo picado e 150 gramas de margarina e leve ao fogo em banho-maria até derreterem (não deixe a água ferver). Retire do banho-maria e espere amornar.

Junte meia xícara de açúcar cristal e meia xícara de açúcar mascavo ao chocolate derretido. Acrescente 2 ovos grandes e bata com o auxílio de uma colher de pau por cerca de cinco minutos. Adicione uma xícara de farinha de trigo e uma colher (chá) de fermento em pó, peneirados, e misture bem.

Despeje a massa numa assadeira retangular (18 x 23 cm) untada e enfarinhada. Leve ao forno médio pré-aquecido por cerca de 25 minutos ou até que, enfiando-se um palito na massa, esse saia limpo. Deixe amornar, desenforme e corte em quadrados. Sirva com sorvete de creme.

Se gostar muito de brownie, experimente as outras receitas que já apresentei aqui: Brownie de Nutella e Brownie de microondas.

4 ideias sobre “Culinária cenográfica (Brownie)

  1. Márcia, como sempre este texto está ótimo , a receita também está ótima.
    Aquela receita da cozinheira afamada, pecou pela aparência, mas o sabor estava bom. “As aparências enganam”.
    Beijos.

  2. Márcia
    Essa receita é um tipo de biscoito? Parece gostoso, mas para o meu apurado paladar acrescentaria mais algumas coisas: passas, frutas cristalizadas, ameixas, amendoim torrado, coco ralado etc,etc.
    Ao contrário de você eu acho que a graça da cozinha está nos improvisos
    Abraços de Terezinha

    • Oi, Tereza!
      Primeiro devo explicar: não é que eu ache as receitas mais divertidas, mas com elas eu sempre tenho ótimos pratos, o que nem sempre acontece com os improvisos (Te peguei!!!)
      O brownie é um tipo de bolo muito consumido nos Estados Unidos. Pergunte à sua irmã, que ficou viciada no brownie do Starbucks… Ele fica bem úmido, mas não solado. Observe que, em seus improvisos, você não deve acrescentar leite, ou não será mais um brownie. Geralmente se acrescentam castanhas ou nozes, mas eu sugiro que na primeira vez, siga a receita e só depois comece a inventar.
      Beijos e ótimo final de semana,
      Marcia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 3 =